DIREITO À SAÚDE: EVOLUÇÃO HISTÓRICA, ATUAÇÃO ESTATAL E APLICAÇÃO DA TEORIA DE KARL POPPER

Michelle Emanuella de Assis Silva

Resumo


O objetivo desse trabalho é expor uma sucinta análise acerca do direito à saúde, observando-se a evolução histórica de sua definição e o tratamento constitucional conferido ao tema. Ademais, examina-se a atuação estatal - através da regulamentação, fiscalização e controle das ações e serviços de saúde - de acordo com o ordenamento jurídico brasileiro vigente, aplicando-se a teoria do filósofo Karl Popper no que tange à intervenção do Estado em tal seara.

Texto completo:

PDF

Referências


AGRA, Walber de Moura. Manual de Direito Constitucional. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2002.

AITH, Fernando. Curso de Direito Sanitário – a proteção do direito à saúde no Brasil. São Paulo: Quartier Latin, 2007.

ALMEIDA FILHO, N; Rouquayrol, M. Z. Modelos de saúde-doença: introdução à epidemiologia. 3ª ed. Rio de Janeiro: Medci Ed., 2002.

BASTOS, Celso Ribeiro. Curso de Direito Constitucional. São Paulo: Celso Bastos Editor, 2002.

BONAVIDES, Paulo. História constitucional do Brasil. 3ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1991.

BRASIL Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Projeto Promoção da Saúde. Distritos sanitários: concepção e organização o conceito de saúde e do processo saúde-doença. Brasília. Ministério da Saúde, 1986.

CAMPANHOLE, Adriano. Constituições do Brasil. São Paulo: Atlas, 1989.

CANOTILHO, J. J. Gomes; MENDES, Gilmar F.; SARLET, Ingo W.; STRECK, Lenio L. (Coords.). Comentários à Constituição do Brasil. São Paulo: Saraiva/Almedina, 2013.

CRETELLA JÚNIOR, José. Comentários à Constituição Brasileira de 1988, vol. VIII, 2ª ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1993.

DAVID ARAUJO, Luiz Alberto; NUNES JR, Vidal Serrano. Curso de Direito Constitucional, 19ª ed. São Paulo: Editora Verbatim, 2015.

FERREIRA, Pinto. Curso de Direito Constitucional, 12ª ed. São Paulo: Editora Saraiva, 2002.

FERREIRA FILHO, Manoel Gonçalves. Comentários à Constituição brasileira de 1988. São Paulo: Saraiva, 1990.

MENDES, Gilmar. Curso de Direito Constitucional. São Paulo: Saraiva, 2012.

MENDES, Karyna Rocha. Curso de Direito da Saúde. São Paulo: Editora Saraiva, 2013.

MIRANDA, Francisco Cavalcanti Pontes de. Comentários à Constituição de 1967 – Tomo II. São Paulo: RT, 1972.

OLIVEIRA, M.A.C.; EGRY, E.Y. A historicidade das teorias interpretativas do processo saúde-doença. Rev. Esc. Enf. USP, São Paulo, v. 34, n. 1, jan. 2000.

OLIVEIRA, Paulo Eduardo de (org.). Ensaios sobre o pensamento de Karl Popper. Curitiba: Círculo de Estudos Bandeirantes, 2012.

POPPER, Karl R. A lógica da pesquisa científica. São Paulo: Cultrix, 1972.

PUGLIESI, Márcio (org.). A disputa do Positivismo na Sociologia alemã. São Paulo: Ícone, 2014.

SANTOS, Lenir (org.). Direito da saúde no Brasil. Campinas: Editora Saberes, 2010.

SCLIAR, Moacyr. História do Conceito de Saúde. PHYSIS: Rev. Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, 17(1): 29-41, 2007.

SERRANO, Mônica de Almeida Magalhães. O sentido e o alcance do conceito de integralidade como diretriz constitucional do Sistema Único de Saúde. Dissertação (Mestrado em Direito) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, 2009.

SILVA, José Afonso. Curso de Direito Constitucional Positivo, 9ª ed. São Paulo: Malheiros, 1993.

SURYAN, Jaqueline. O Direito Constitucional à Saúde e o Sistema de Saúde Complementar. Dissertação (Mestrado em Direito) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, 2014.

VILLA, Marco Antônio. A história das constituições brasileiras. São Paulo: Leya, 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Michelle Emanuella de Assis Silva